232012maio

Envelhecer é difícil

Hoje de manhã acordei com a cara amassada.

Quando fui chamar minha filha mais velha pra terminar a lição de casa, aproveitei e dei uma olhada mais detalhada no espelho do quarto dela e a luz incidente vinda da janela foi impiedosa. O tempo passou.

A testa tem 2 linhas horizontais, típicas dos psicólogos que “entendem” o que o outro está sentindo ao franzir a testa. Entre os olhos a famosa ruga de quem faz uma força danada para pensar bastante.

Para fazer jus a ruga, comecei a pensar.

Outro dia, tudo o que eu queria era fazer 18 anos… Depois quis tanto casar, mas tanto, mas TANTO que casei 2x.

Nesse meio tempo fiz muitas coisas. Uma faculdade, 2 pós graduações, um mestrado, escrevi um livro, dei entrevistas para jornais, revistas, rádios e televisão. Mudei de casa várias vezes e o mais importante tive 2 filhas maravilhosas.

Trabalhei nas empresas que eu quis, montei meu consultório e hoje tenho uma sala só minha.

Quantas coisas que eu nunca achei que conseguiria…

Olhando no espelho e vendo as rugas da minha cara, chego a ter certo orgulho delas… Noites mal dormidas, noites super bem dormidas, medos, esperanças, preocupações, certezas, saudades… Quanta gente eu já conheci, quantas pessoas já me tocaram com suas estórias…

As rugas são a prova de que eu vivi. E isso é muito, muito gostoso. Poder olhar para trás e pensar em todas as coisas que eu já fiz e… O que eu tenho para fazer?

Bom, ai eu já comecei a não gostar mais. Daqui para frente, o inexorável destino da vida, a morte vai se aproximando cada vez mais e com ele as limitações da velhice.

A juventude é bela. Minhas filhas são lindas, com a pele lisinha, brilho nos olhos e uma ingenuidade no olhar que só quem viveu pouco tem. Será que é possível envelhecer bela?…

Será que podemos adquirir outro tipo de beleza que não a da juventude? Ou será que eu também vou correr atrás do elo perdido, tentando parecer mais jovem me esticando até deformar?

Eu não quero ter 60 anos com cara de 20. Acho isso muito estranho.

E se eu tiver 60 anos com cara de 60 anos? Pode?… Estarei errada?…

Na nossa sociedade é proibido envelhecer. Se você envelhece, você é desleixada. Se você tem os cabelos brancos então!… É quase um crime, uma ofensa pública.

O que significa isso? Por que negamos o que é absolutamente natural?

Além da resposta óbvia, lutar contra o envelhecimento alimenta uma indústria enorme, parecer mais jovem é parecer mais distante da morte.

Envelhecer nos força a admitir nossa finitude. Se somos finitos, não temos todo o tempo do mundo para fazer tudo o que queremos.

Para a mulher isso é mais gritante ainda porque nós temos um relógio biológico que avisa que nosso tempo de ter filhos existe ou terminou. E se terminar… Não há plástica, creminho, laser, nem nada que possa vencer o climatério. Os óvulos também envelhecem…

A ciência avança tentando driblar a morte, congelando óvulos e embriões, fazendo reposição hormonal e tudo o que possa nos convencer de que a morte é algo tão distante que a gente nem precisa pensar nisso agora.

Como rebelde que sempre fui, vou na contra mão da ciência e discordo! Será que não é melhor reconhecer nossa finitude e justamente por isso gozar a vida da melhor maneira possível?

Se eu sei que meu tempo é limitado, lembrando disso, eu posso aproveitá-lo.

Essa é a parte boa da vida. Aproveitar o tempo, fazer hoje e não deixar para amanhã, viver tudo o que temos para viver, chorar e sorrir, sem medo.

Mas a parte ruim é que um dia teremos que nos separar daqueles que amamos. É preciso muita coragem para admitir isso. Soa mórbido, mas é a mais pura verdade.

E o que fazer diante dessa triste realidade?

O fato da festa um dia chegar ao fim, não significa que a gente não possa se divertir enquanto ela acontece!

E no mais, ninguém sabe como ela termina. Se é que realmente termina!…

Um forte abraço cheio de vida e com algumas rugas,
Renata
www.terapeuta.psc.br


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *